Eu, você e o outono #1

large (2)

Era mais uma para a lista de caminhadas que eu amava fazer no parque quando o outono chegava.Tinha em torno de duas semanas que a minha estação favorita havia acabado de chegar na cidade e já estava na hora de ir no parque pra ficar admirando as folhas que caíam formando um lindo tapete marrom por todo o chão.

Como eu amava aquela época. Sentir aquele vento fresquinho entrando pela janela do ônibus me dava a sensação de que algo mágico acontecia naquela estação. Não sabia o que era exatamente, mas adorava sentir aquilo. Fechei os olhos e respirei fundo me concentrando nos acordes da próxima música do mp3. Era algo do tipo “quando o segundo sol chegar para realinhar as órbitas do planeta…”

Me lembro de ter visto um violão surgindo e seu dono todo atrapalhado logo atrás, subindo os degraus do ônibus. Senti um leve rubor na face quando vi que aquele lindo sorriso que havia cumprimentado o motorista de forma tão simpática estava vindo na minha direção e ops: ia sentir ao meu lado que era exatamente o único lugar vazio no ônibus. O único.

Só consegui mostrar um sorriso bobo quando ele disse licença ao sentar-se ao meu lado.

Foram mais ou menos dois minutos de viagem até ele cutucar o meu ombro e fazer um sinal de beleza. Fiquei sem entender nada e arranquei o fone de um modo tão desengonçado do ouvido que ele não hesitou em rir. ” você tem um bom gosto musical, também adoro Cássia Eller”. Ops, acho que alguém estava ouvindo música alto demais.

E aos poucos o  rubor do meu rosto ia diminuindo enquanto conversávamos sobre coisas aleatórias e acabei descobrindo que assim como eu ele amava o outono também. “Parece algo mágico sabe, sinto que a qualquer momento algo vai acontecer”…

Uma freada brusca me fez acordar num pulo e logo percebi que acabara de chegar no parque. Caminhei observando cada canto e cada pessoa que se encontrava ali enquanto um sorriso bobo surgia na boca lembrando automaticamente do cara do ônibus. Um casal voltava abraçado pelo caminho que dava acesso ao riacho que era mais uma fonte dos desejos daquele lugar. Era meu cantinho preferido. Acho que toda a magia do outono morava ali ao redor daquela fonte.

Acabei achando uma moeda enquanto guardava o fone de ouvido dentro da bolsa que estava no chão próxima aos meus pés. Era o desejo do dia, era meu momento mágico com a estação que eu tanto amava.

Fechei os olhos e foquei em me concentrar no pedido, mas um barulho ao meu lado acabou tirando a minha concentração. Alguém havia chegado perto de mim o que era estranho porque não tinha ninguém no caminho até ao lago muito menos lá quando cheguei.

Mesmo com a moeda cerrada em punho, pronta para ser jogada no riacho a danada da curiosidade fez com que eu abrisse os olhos.

“Você…”

Curtiu o primeiro capítulo da história?

Toda segunda sai um capítulo novo heim, fiquem ligadinhos!

Me conta aqui nos comentários, um beijo!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s